segunda-feira, 17 de maio de 2010

Amara-o em tempos. Ao longo dos anos, tentara convencer-se de que se tinha tratado apenas de uma paixão, do enamoramento de uma jovem por um belo corpo e um coração aventureiro.
Mas era uma mentira covarde.
Tinha de reconhecer que o amara. Tinha, pelo menos, amado o homem que pensava que era e que podia ser. Nada nem ninguém tinham tocado o seu coração como ele. Assim como nada nem ninguém o tinham estilhaçado tão completa e friamente.
Nora Roberts, o Recife

2 comentários:

Rita disse...

Espero que o amara-o em tempos nao signifique amara-o sempre ao longo da vida...

Lady C disse...

No livro, esse amara-o em tempos, quer dizer há oito anos atrás. Mas ainda o ama, claro. Ainda não sei o fim, mas quase que aposto que ficam juntos ;)